Batman – O Filho do Demônio

resenha-nerd-batman-o-filho-do-demc3b4nio-01

Devido à estreia de Batman Vs Superman no fim do mês, vou dar uma pausa nas análises de quadrinhos nacionais e tentar me focar um pouquinho em algumas histórias dos medalhões da DC.

Começando com uma história do Cruzado Encapuzado, O Filho do Demônio me chamou atenção… Pelo seu preço. Vinte reais num encadernado com um ótimo encabamento da Panini foi muito chamativo, apesar da história ser curta.

Já tenho aqui, apesar de ainda não ter lido, o Lendas do Cavaleiro das Trevas Vol. 4, que estampa em sua capa uma história do Ra’s contra o Batman feita por Neal Adams, mas tive preferência por começar com essa justamente por ser mais curta e, curiosamente, também trazer Ra’s Al Ghul como um dos personagens centrais.

Acontece que Filho do Demônio (assim como uma boa parte dos encadernados que saem por aí hoje em dia) é uma história que não dá pra ser lida sem um conhecimento anterior do mundo do personagem. Lógico, a história em si é surpreendentemente fechada e sem muitas pontas soltas, mas conhecer todo o contexto de Ra’s, do Poço de Lázaro e da relação de Bruce com Talia ajuda a ter um aproveitamento melhor da história. Agora, se isso é um mérito ou um problema, é uma questão para outra hora.

batman-son-of-the-demon-1jpg

A história é centrada numa aliança feita entre Batman, Ra’s Al Ghul e Talia Al Ghul quando um novo terrorista, Qayin, surge.

Falando sobre os pontos fracos da história, sem dúvidas que Qayin é um deles. Um vilão quase que inteiramente sem graça, carregando consigo apenas sua obsessão bíblica teórica (que só é dita mas em nenhum momento mostrada) e sua relação com o passado de Ra’s e Talia como um ponto interessante (afinal, é por conta da ameaça dele que toda a história acontece).

Agora, dentre os pontos fortes, é impossível não citar a relação entre os 3 protagonistas. Toda a relação romântica entre Batman e Talia, apesar de jogada (como eu disse, é necessário certo conhecimento prévio), é muito convincente e emocionante, principalmente pelo lado de Batman. Mas só não chama mais a atenção do que a relação que é construída entre o mesmo e Ra’s.

Mas, além dessa parte mais subjetiva, a história é muito fluída. Um roteiro simples, porém bem chamativo, com ótimas cenas de ação.

Agora, quanto ao nome da história… Seria Spoiler se eu dissesse que é Spoiler?

batman-sonofthedemonpg80_

O quadrinho, escrito por Mike W. Barr e desenhado por Jerry Bingham, apresenta nessa nova versão da Panini uma introdução assinada por Mark Hamill, nosso eterno Luke, escrito em 1987, ano em que a história saiu (aliás, me corrijam se eu estiver errado, mas ele também escreveu a introdução de Superman: Paz Na Terra, não?).

Um dos primeiros Elseworlds (histórias do universo DC comics que se passam em universos alternativos) mas que serviu de base para a história de Grant Morrison “Batman & Son” e também uma das primeiras graphic novels do Morcego, Batman O Filho do Demônio é uma ótima história que facilmente vale seus 20 reais.

Nota: 8,5.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s