[Recomendação] Série Dragon Age (Origins e 2)

header

Bem vindo à era dos dragões (mas só tem um no jogo inteiro).

Darf aqui e essa é a minha primeira matéria. Insira aqui uma frase legal de introdução e apresentação, eu sei que você é criativo.

Bom, vou falar sobre a série de jogos Dragon Age. São eles: Dragon Age Origins, Dragon Age 2 e Dragon Age Inquisition. Nesta matéria eu falarei sobre o Origins e o 2, apenas. Razão: são jogos muito grandes já e o Inquisition é grande o suficiente para ser uma matéria por si só. Não falarei dos spin offs por enquanto, já que não joguei nenhum.

Não, é claro que não tem nada a ver com eu não ter zerado o Inquisition. Imagina.

A série Dragon Age se iniciou em 2009 com o lançamento do Dragon Age Origins, desenvolvido pela Bioware (a mesma de Mass Effect e Knights of the Old Republic) e distribuído pela Eletronic Arts. Em 2011 foi lançado o Dragon Age 2 e em 2014 o Dragon Age Inquisition.

Dragon Age é um jogo de rpg (roleplaying game) ambientado em um mundo de dark fantasy (fantasia medieval com traços góticos, ou algo assim) chamado Thedas.

27_dragon

Spoiler: tem dragões.

Vamos começar com o Origins, que como o próprio nome já diz é a origem da parada toda. Thedas era um mundo tranquilo até um grupo de magos resolver entrar na Cidade Dourada, onde o Criador mora (vulgo Deus). O pecado desses magos escureceu a cidade e fez com que o Criador se retirasse de lá e os amaldiçoasse, fazendo-os virarem os primeiros Darkspawn, monstros que tem como objetivo destruir o mundo (por motivos de dane-se).

E eles quase conseguiram. Os humanos, anões e elfos levaram uma grande sova dos exércitos darkspawn. Até que um grupo foi criado, os Grey Wardens. Eles foram criados para serem o contra ataque supremo contra os darkspawn, caçadores de darkspawn e tudo o mais que vem no pacote. E qualquer um podia ser um Grey Warden: humano, elfo, anão, plebeu, rei… Graças a eles o mundo foi salvo e sobreviveu para outra história.

O jogo te conta essa história no começo e te mostra um Grey Warden chamado Duncan indo atrás de mais aliados porque um novo exército darkspawn está surgindo. E você é um desses aliados.

Agora, o legal do Origins é que quando você clica em Novo Jogo, você pode criar seu personagem como qualquer rpg, mas o diferencial é que você escolhe uma origem para ele. São 6 as possíveis: humano nobre, mago, anão plebeu, anão nobre, elfo dalish e elfo da cidade. De acordo com cada um, coisas diferentes rolam para você ser chamado pra participar dos Grey Wardens.

O jogo possui três classes: Mago, Guerreiro e Ladino. Embora isso pareça pouco no começo, cada classe possui 4 especializações no jogo principal mais 2 na expansão awakening. E o que são especializações? São melhorias que deixam sua classe mais específica em algum ramo. Por exemplo, um guerreiro pode pegar a especialização Reaver, que fornece poderes onde quanto mais dano você levar mais dano você causa.

Então, por causa desse sistema de especializações, o jogo fica bem interessante. Outra coisa legal desse sistema: você tem que aprender a especialização. Não é aquela coisa de “ah, peguei level 7 agora aprendi a ser um Reaver”. Não senhor, você tem que ou comprar um pergaminho que ensine a ser um Reaver ou convencer um Reaver a te ensinar, aí sim a opção Reaver ficará habilitada para você escolher. Isso torna o jogo mais realista, de certa forma, e foi uma adição muito legal que não lembro de ter visto em outros jogos de rpg.

dragon

O grupo olhando pro que interessa: Morrigan

A jogabilidade de forma geral é meio confusa no começo para quem nunca jogou Knights of the Old Republic, por exemplo. De início a primeira coisa estranha é que não da para pular. Apertar espaço vai na realidade pausar o jogo. Mas para quê? É para a parte de combate, que permite você pausar para poder distribuir melhor o seu time (que no máximo terá 4 personagens) pelo lugar e usar um pouco de estratégia para vencer os combates. Não são todos os combates que você vai precisar disso. Em alguns é só avançar como se não houvesse amanhã e sair batendo em tudo e todos. Em outros você terá que pensar pra cacete.

Outra parte muito importante do jogo são as conversas. As escolhas que você fizer nas conversas influenciam se você vai salvar a mocinha dos bandidos botando medo neles, convencendo eles a se retirarem com um suborno ou matando todos eles. E vai desde essas situações simples a escolhas mais importantes, como quem vai ser o novo rei. E essas escolhas tem importância porque elas influenciam no Dragon Age 2.

Primeira diferença do 2 para o Origins: você só pode ser humano aqui. Tem a ver com a história do jogo, onde você é o campeão da cidade de Kirkwall, e um amigo seu está contando a história de como você se tornou o campeão e tudo o mais. E por isso eles decidiram que o campeão era um humano.

Uma mudança que me incomodou foi que agora você não precisa mais aprender as especializações. Chega level 7 e pega o ponto na especialização que você quiser e já era. Dane-se o fato de não fazer sentido. E reduziram a quantidade de especializações a 3 por classe.

Dragon-Age-2-Meredith-2

Spoiler: tem cameo do Palpatine

Agora uma mudança boa foi que o combate ficou muito mais ágil e dinâmico. Onde antes era uma coisa lerda e que fazia você ficar na dúvida se estava em uma luta ou em um jogo de tabuleiro, agora o pau come. Muitas vezes você tem que ficar correndo para lá e para cá para desviar de magias e se posicionar. E ficou mais difícil, os inimigos são mais fortes nesse jogo. Mas agora tem respawn de unidades, então se você está dando uma volta em um mapa a noite pode encontrar inimigos aleatórios, coisa que não rolava no Origins.

Falando em mapas, o mapa de Dragon Age Origins é gigantesco, você vai para a capital do reino, vai para a cidade dos anões, visita o círculo dos magos e vai para a tribo dos elfos e isso não é tudo o que você vê no jogo. São muitos cenários diferentes por causa dessa possibilidade de viajar para lá e para cá. Algo que Dragon Age 2 deixou a desejar, confinando você à cidade de Kirkwall e seus arredores. Os cenários, embora bem construídos, acabam se tornando muito enjoativos por sua repetição.

Mas quando chega a hora de comparar as histórias de ambos os jogos, Dragon Age 2 fica muito para trás no impacto de sua história. Simplesmente não tem tanto apelo quanto a história do Origins. Qual é, ser o campeão de uma cidade que queria ganhar a vida ou ser um herói membro de uma ordem lendária que enfrenta exércitos de monstros? Não tem nem como comparar, Origins tem uma história muito mais chamativa. Mas apesar disso Dragon Age 2 tem uma história bem construída que se encaixa perfeitamente na série, o que o Origins peca um pouco pelo clichê de sua história. Ainda assim, Dragon Age Origins tem a Morrigan. Dragon Age 2 tem a Aveline e a Merill, ninguém gosta delas. Mas tem a Isabella. Só que Morrigan >>> Isabella, então Origins ainda tá na frente.

dragon_age__morrigan_by_telkian-d6qom1u

Morrigan sendo uma linda

O que nos leva ao último ponto que vou falar sobre a série Dragon Age: o romance. Dragon Age permite que você conquiste os membros do seu grupo, com flertes, presentes e ações. Isso vem do sistema de amizade que tem no jogo, onde os membros do seu grupo vão gostar mais ou menos de você de acordo com sua ações e de acordo com as conversas que você tem em particular com cada um. Quando você consegue pontos suficiente nesse marcador, se torna possível um romance. E Dragon Age limita bem pouco nesse sentido, você pode ter um romance heterossexual ou homossexual sem problemas, onde cada membro do seu grupo tem suas próprias preferências: alguns são heterossexuais, outros são homossexuais e outros ainda são bissexuais.

Outro ponto positivo no sistema de amizades é que você tem a oportunidade de conhecer melhor cada personagem e suas motivações. Alguns tem uma história muito interessante, como o Zevran e a Leliana. Cada aliado tem uma quest (missão) própria, que só se tornará disponível a partir do momento em que você estiver amigo dele, de acordo com o medidor. É nessas quests que a gente tem a oportunidade de conhecer a história ou alguma coisa importante sobre cada personagem. (Não vou falar sobre a quest de nenhum para não dar spoiler, então se quiser saber vai ter que jogar)

De forma geral, a série Dragon Age vale muito a pena. Se você for fã do gênero RPG ela se torna obrigatória. Ótima ambientação, jogabilidade divertida e história incrível fazem desses jogos uma ótima escolha. Então agora que você já sabe que a Morrigan é a melhor waifu de Dragon Age (mas a Leliana também é aceitável), me deixe em paz aqui e vá jogar. Sério.

É isso galera, foi minha primeira matéria e não tenho muita experiência mas espero que tenha ficado legal. Críticas, sugestões e pedidos de resgate nos comentários.

Abraços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s